• HuMANAS: Pesquisadoras em Rede

Concurso de Teses, Dissertações e Monografias da SBTHH – 2020


HuMANAS pesquisadoras em rede parabenizam as integrantes Walkiria Oliveira Silva e Thamara de Oliveira Rodrigues por seu desempenho na edição 2020 do Concurso de Teses, Dissertações e Monografias da Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia (SBTHH). Elas receberam, respectivamente, o prêmio de melhor tese na categoria Teoria da História – pelo trabalho “O historiador é o protetor da Bildung: Friedrich Gundolf e a dimensão formativa da História (1890-1930)”, orientado por Estevão Chaves de Rezende Martins – e uma menção honrosa na categoria História da Historiografia Brasileira – pela tese “Sobre o que esperar do futuro do Brasil: temporalidade e historiografia em Abreu e Lima (1835-1855)”, orientada por Valdei Lopes de Araujo.


Saudamos, igualmente, Karina Anhezini, pesquisadora da rede e orientadora do trabalho “De l’histoire de l’histoire: o passado dos estudos históricos na França (1810-1933)”, de Thiago Augusto Modesto Rudi, premiado como melhor tese de História da Historiografia Geral. Na mesma categoria, a tese de Sabrina Rocha, intitulada “Os periódicos e a crítica da história: a recepção de Lucien Febvre e Marc Bloch por seus contemporâneos (1911-1942)” e orientada por Sérgio da Mata, recebeu uma menção honrosa.


Gostaríamos de destacar, ainda, que a tese vencedora da categoria História da Historiografia Brasileira se dedica a uma historiadora: “A trajetória intelectual de Alice Piffer Canabrava: um ofício como sacerdócio (1935-1997)”, de Otávio Erbereli Júnior, que foi orientada por Raquel Glezer.


Entre as dissertações de mestrado, ressaltamos que o trabalho premiado na categoria História da Historiografia Brasileira – “I° Congresso Internacional de História da América: Intelectuais, Historiografia e Diplomacia Cultural no Rio de Janeiro em 1922”, de José Lúcio Nascimento Júnior – foi co-orientado por Lúcia Maria Paschoal Guimarães, em parceria com Thiago Lima Nicodemo. A dissertação “Tradição, linguagem e orientação: a escrita da história de Manoel Bomfim (1923-1931)”, de Carolina de Oliveira Silva Othero, orientada por Douglas Attila Marcelino, recebeu uma menção honrosa. Na categoria Teoria da História, a distinção foi para “‘O destino dos traços visíveis do passado’: o problema da produção de conhecimento no diálogo crítico de Pierre Vilar com Louis Althusser”, de Geise Targa de Souza, orientada por Marcia Barbosa Mansor D’Alessio.


É com particular satisfação que registramos o reconhecimento de trabalhos feitos por, sobre e com a orientação de mulheres nas áreas de teoria da história e história da historiografia. Alguns dos debates que levaram à formação da rede HuMANAS partiram da insatisfação de professoras e pesquisadoras especializadas nessas temáticas com as acentuadas assimetrias de gênero e o persistente silenciamento da produção feminina que vêm marcando as práticas acadêmicas.

0 comentário